Pedreiro é pedreiro no mundo inteiro

Mais um dia em Paris: metro, pernas, rostos, cabelos e muita antiguidade bem trabalhada, muita arte envelhecida pelo tempo e olhos brilhantes ao ver o que é possível através da dedicação e tempo de pessoas que viveram anos atrâs.
Hoje o metro tava uma catinga danada. Perguntei para algumas pessoas aqui sobre os costumes franceses e dois conhecidos me responderam que o problema é que alguns parisienses não tem tanto costume de lavar roupas com a frequencia que nós lavamos.
Foi um dia corrido, pés na calçada e muita perna que aguente. Falando nisso a minha deve ter engrossado um pouquinho porque a cada dia que passa sinto elas mais fortes pra sair e explorar. Rs...
As construções são gigantes! Hoje foi o dôme, onde se encontra o túmulo de Napoleão e o Panteão. O tumúlo é gigante! Muito bonito, imponente. Já a segunda, foi Luís XV quem mandou construir para agradecer por ter sido curado de uma grave doença. A construção ficou linda, enorme. Colunas, esculturas, pinturas, muito teto, muito chão e muito trabalho!
No caminho uma construção nova, um prédio provavelmente. Cimento, areia, homens e muita semelhança. Olhei para o pedreiro e ele mexeu comigo! Mexeu comigo!
Olhou e soltou um "ooooooooooonnnnnnnnn". Olhei para frente e ri "putz grila".
Bom... um pouco de familiaridade.
Nessa hora foi bom não entender a língua.
Vi também o museu de artes decorátivas, o lugar perfeito para os decoradoes. Enfeites e ornamentos do século XVI até a atualidade. Me senti muito tentada pelo lego gigante, mas infelizmente a exposição só começa dia 10 de dezembro. Me contetei com ver de longe e esperar.
Au revoir mes amis!

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Pedreiro é pedreiro em qqr lugar,em qqr lingua.
    nao tem jeito msm.hahahahaha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas